Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Histórico
Início do conteúdo da página

Pomeranos

Publicado: Quinta, 07 de Julho de 2016, 16h18 | Última atualização em Sexta, 08 de Julho de 2016, 16h08 | Acessos: 72

Histórico

Os pomeranos brasileiros são descendentes dos habitantes da extinta Província Pomerânia da Prússia, antigamente localizada no litoral do Mar Báltico. A onda migratória de pomeranos para o Brasil ocorreu por um período determinado (1820-1870) e ocorreu dentro da grande onda migratória europeia para o Brasil no mesmo período. O desenvolvimento do capitalismo na Europa criou os exércitos de reserva, uma grande quantidade de pessoas desprovidas de terras e de trabalho; estes trabalhadores foram incentivados pelos seus governos (principalmente Alemanha e Itália) a migrarem para o Brasil, que passava por um processo de colonização de grandes áreas e início do surgimento da indústria, portanto onde faltavam trabalhadores tanto rurais quanto urbanos. Os imigrantes viajavam em barcos por cerca de três meses e, ao desembarcarem, geralmente ficavam em estalagens para imigrantes até que o governo concedesse a permissão para ocuparem suas terras loteadas. Os primeiros imigrantes pomeranos enfrentaram dificuldades para se estabelecer, tanto por conta do clima quanto por encontrarem uma terra sem nenhuma benfeitoria. Tiveram que construir suas casas, abrir roçados e construir tudo o que era necessário na vida familiar e comunitária. Além do Brasil, os pomeranos também emigraram para os EUA e Austrália, por conta da liberdade de culto religioso encontrada nesses locais.

Com o fim da II Guerra Mundial o território da Pomerânia foi dividido, ficando parte em poder da Alemanha Oriental e parte em poder da Áustria (atualmente é território polonês). A perda do território levou os refugiados pomeranos a espalharem-se pela Europa ou tornarem-se alemães e poloneses, perdendo em quase todos os casos suas características culturais (inclusive o uso da língua), enquanto essas características foram mantidas em seus descendentes brasileiros. Aqui, os pomeranos desembarcaram em vários Estados, receberam terras distantes das vilas e cidades, vazias e inóspitas, desde sempre trabalhando com afinco no campo.

Estima-se que atualmente a população pomerana no Espírito Santo seja de cerca de 120 mil pessoas, e de 300 mil pessoas ao todo no Brasil. Apenas no Espírito Santo, pelo menos duzentas cidades possuem descendentes de pomeranos.

Fim do conteúdo da página