Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Pomeranos
Início do conteúdo da página

Pomeranos

Publicado: Quinta, 07 de Julho de 2016, 16h18 | Última atualização em Sexta, 08 de Julho de 2016, 16h08 | Acessos: 1219

Introdução

“Destacado espírito de comunidade, dedicação ao trabalho e expressões simbólicas, como o dialeto, os costumes socioculturais, o artesanato, a música, a dança e a culinária, marcam um jeito de ser ímpar entre nós.”1

 

O pomerano é um povo cuja autodefinição se centra no trabalho, no espírito da família, na religião e na língua comum. O trabalho é um fator de identidade muito forte, partindo da noção de que o ser humano vive para trabalhar e deste depende diretamente sua sobrevivência e a de sua família. O trabalho no campo toma praticamente todo o tempo do dia de um pomerano, inclusive dos jovens, tanto na lavoura quanto na criação de pequenos animais. A base da vida comum é a família, havendo em muitos casos a noção de família estendida, com a convivência constante entre vários núcleos familiares próximos e entre pessoas com algum grau de parentesco, como tios, primos e parentes mais distantes. Isso cria uma rede de contatos e apoio mútuo que fortalece as famílias e a comunidade.

Segundo os pomeranos, a religião luterana educa para a vida no campo mais do que a escola formal. A língua pomerana é falada em casa e a língua alemã, usada nos rituais e no aprendizado religioso, enquanto a língua portuguesa é usada nas escolas e em transações comerciais. Os pomeranos são considerados povos tradicionais (e não comunidades) pelo fato de terem uma língua própria, que foi transmitida e preservada pelos descendentes. Em pelo menos 30 municípios, a língua pomerana encontra alguma inserção nas escolas.

Fim do conteúdo da página