Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Ilheus
Início do conteúdo da página

Ilhéus

Publicado: Quinta, 07 de Julho de 2016, 15h06 | Última atualização em Sexta, 08 de Julho de 2016, 15h56 | Acessos: 666

Introdução

“A minha vida na ilha era uma vida simples, mas muito boa, nós plantava de tudo, tinha milho, feijão, arroz, criava porco, tinha duas vaca de leite. Meus filhos pescavam, nós pescava, vivia mais da pesca. Plantava roça de quiabo, a gente tinha uma vida boa porque não precisava trabalha pra ninguém, meus filhos nunca trabalharam pros outros, só trabalhava pra nós mesmo em casa, não tiveram grande estudo, mas pra pescar, nós tinha um bote a motor e um abate que era pra pesca e no meio do dia trabalhava na roça.”

A palavra ilhéu, segundo a Carta do I Encontro dos Ilhéus do Paraná, é um termo criado pelo Estado para se referir aos ribeirinhos e pescadores artesanais que habitavam/habitam as ilhas do Rio Paraná na época da construção da represa de Itaipu. Ou seja, antes de Itaipu, eles se identificavam como outros povos e comunidades tradicionais da região. Sua cultura é baseada na plantação de alimentos para subsistência e na pesca artesanal, levando em conta as cheias, vazantes e secas do rio.

“O ilhéu é porque a gente mora na ilha, mas pra mim é a pessoa que foi criada na ilha, porque a ilha é cercada de água, num tem como você sai a pé, pra atravessar um rio pra ir numa cidade porque tem que ir de barco, tem que ter condição, tem que ter combustível, tem que ter um barco pra você atravessar pra ir na cidade fazer umas compras pra você ir no médico. Então você mora ali numa ilha cercada de água”. 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página