Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Lista de Etnias
Início do conteúdo da página

Ciganos

Publicado: Quarta, 06 de Julho de 2016, 16h30 | Última atualização em Quinta, 14 de Julho de 2016, 18h33 | Acessos: 79

Etnias

Rom ou Roma: São originários principalmente dos países Bálcãs e do Leste Europeu. Migraram no século XIX para os demais países europeus e as Américas. Falam a língua Romanês (ou Romani) e possuem os subgrupos Kalderash, Matchuai, Lovaria, Curara, Rodarj. São devotos de Santa Sara Kali.

“Os Rom, vindos principalmente do Leste Europeu e que falam a língua romance (romani). No Brasil, encontram-se ciganos dos seguintes subgrupos Rom: Kalderash que se dizem “puros”, alguns ainda nômades, trabalhando no comércio de carros e as mulheres na quiromancia e cartomancia; Macwaia ou Matchuai, vindos basicamente da Sérvia (antiga Iugoslávia), vivem sedentários em grandes cidades, não se identificam com o vestuário cigano e, na sua maioria, sobrevivem de atividades da arte advinhatória; Horahane, de origem turca ou árabe, com atividades semelhantes aos Matchuaias. Vivem principalmente no Rio de Janeiro e só poucos ainda são nômades; Lovaria, um grupo de poucas pessoas que se dedica ao comércio e à criação de cavalos e é basicamente sedentário; e os Rudari, também em número reduzido, dedicados ao artesanato de ouro e madeira, sedentários e que também vivem basicamente no Rio de Janeiro.” 4

Calon (ou Kalon, Calom, Calé): São ciganos ibéricos, conhecidos como gitanos em Portugal e na Espanha. Chegaram ao Brasil a partir do séc. XVI deportados de Portugal e falam a língua Shib Kalé ou Caló, que é uma mistura de Romanês, Português e Espanhol. São devotos de Nossa Senhora Aparecida.

“o Calon, oriundo de Portugal, que fala o dialeto caló, é tradicionalmente nômade, ligado ao comércio de cavalos, carros, correntes e artefatos imitando ouro. As mulheres praticam a quiromancia em praças públicas, exibem dentes de ouro e pintas (sinais) no rosto.” 5

Sinti: São mais presentes na Alemanha, Itália e França. Vieram para o Brasil no fim do século XIX e nas décadas de 1930-40 fugindo da II Guerra e falam a língua Romanês-sintó. Trabalham geralmente com ouro. 

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página